Liberté

Sair de casa, as vezes, não é uma decisão simples. Deixar a segurança familiar, as facilidades e os amigos exige bastante auto conhecimento e a certeza de já estar preparado para mundo fora da vida habitual. Dar esse passo rumo ao desconhecido nos faz experimentar a tão sonhada sensação de liberdade e autonomia. Fazer os próprios horários e tomar as próprias decisões nos torna mais maduros e independentes.

Crescimento. Mesmo tendo nos preparado tanto tempo para chegar a esse estagio da vida, aprendemos mais a cada dia. Erros e acertos mudam nossa percepção de agir diante de certas situações, discussões constroem e desconstroem opiniões antes não pensadas, tudo se transforma em um longo processo de aprendizado e evolução pessoal. 

portada21.jpg

Escolher mudar exige coragem. Partir rumo ao desconhecido pode causar medo, receio, mas, feito no momento certo, compensa. Criar suas próprias histórias, realizar sonhos, conhecer pessoas, culturas e pensamentos diferentes é mais que apenas experiencia, é transformação. Passar por momentos de dificuldade, decisões e escolhas, nos torna responsáveis e conscientes com relação a vida e aos nossos valores. 

Sentir o peso da realidade e das obrigações da vida muda nossas ambições e desejos. Deixamos de pensar no supérfluo e passamos a pensar no essencial. As prioridades mudam, o modo de enxergar a realidade é diferente. Pagar contas, administrar o tempo, fazer compras, manter um circulo social, estudar, trabalhar, se divertir. Tudo isso passa a ser vivido de maneira diferente, com mais consciência.

Viver é um processo de aprendizado que requer esforço e dedicação. Com isso, aprender o valor da liberdade e das responsabilidades do cotidiano é essencial para a construção do Ser e da sua própria independência pessoal.

Somos mesmo racionais?

Porque a nossa liberdade vale mais que a liberdade dos animais? Porque ao invés de conviver em harmonia com as outras formas de vida decidimos que somos superiores a ponto de escravizar outras espécies? São tantos porquês que nem sei por onde começar. A realidade é que nós como população não enxergamos a crueldade cometida aos animais da maneira como deveríamos. Digo isso por ter por muito tempo não me atentado as varias formas de sofrimento que o ser humano pratica com as mais diversas especies existentes. Abatedouros, laboratórios de testes, zoológicos, circos. Essas são algumas das maneiras que nós encontramos para tirar vantagem dos seres ditos por nós como não racionais.

ego-eco

Há muito tempo tento entender o porquê de manter animais selvagens engaiolados para servir de atração barata ao publico. Ou por qual motivo animais são maltratados, muitas vezes de maneira bastante agressiva, para se comportarem como pets em atrações circenses. Além disso, mantido de modo mais oculto, porque utilizamos animais para testes de produtos que serão utilizados por nós em tempos como este, onde já há diversas tecnologias ( e voluntários) capazes de simular tecidos humanos, diminuindo o risco de alergias e efeitos colaterais mais graves no produto final. E também, porque banalizamos tanto (a ponto de achar normal) a criação em grande escala de animais para abate e a caça por esporte?

A natureza dos animais não se comporta dessa maneira. Eles não matam por esporte, não escravizam outros animais, não matam seus semelhantes. Então porque nós, que nos dizemos tão humanizados, tão superiores e nobres, agimos de maneira tão desleal? É difícil entender.

Only cruelty free! 

Algumas pessoas sempre perguntam o porque de eu falar tanto sobre a importância do consumo consciente em todas as áreas da minha vida, por isso decidi fazer um post dedicado ao porque de certas escolhas e bandeiras que decidi defender.

De início já posso dizer que vivemos em um mundo cheio de defeitos e que, infelizmente, é quase impossível deixar de consumir tudo o que vai contra os nossos ideais. Então, dessa vez, escolhi explicar porque de eu sempre evitar consumir produtos que de alguma maneira foram testados em animais. Desde que me conheço por gente sempre tive um carinho enorme por todas as formas de vida (exceto as baratas), sempre me intitulei protetora dos animais e sempre abominei qualquer forma de maus tratos a eles, mas não tinha consciência de que, indiretamente, era responsável pelo sofrimento de diversos animais tanto na minha forma de alimentação quando no consumo em geral. 

Não somos habituados nem incentivados a procurar sobre de onde e o que acontece com tudo que chega até nós através do consumo, por isso, quase sempre, o choque é grande quando, só por curiosidade, paramos para procurar sobre a procedência das coisas que compramos. E quanto mais pesquisamos, mais tomamos consciência das coisas que adquirimos, e isso nem sempre agrada. E foi isso que me fez mudar meus hábitos de consumo. Foi uma escolha. Poder optar por consumir algo que defende as bandeiras que eu defendo ao invés de dar meu dinheiro a quem incentiva a continuidade desses métodos foi fundamental para o meu Crescimento. 

Ter consciência do funcionamento do mundo onde eu vivo me deu a oportunidade de optar por mudar algus hábitos (que, felizmente, desencadearam a mudança de outros) ao invés de mante-los invisíveis aos meus olhos.

Mas, infelizmente, abolir da sua vida tudo o que utiliza testes em animais ou contém animais em sua composição é complicado. O principal disso são os remédios. A industria farmaceuta, em sua maioria, mesmo havendo outros métodos para pesquisa e desenvolvimento de medicamentos, ainda optam pela utilização de animais em testes e também de seus derivados na composição.

E mesmo não podendo substituir (por enquanto) todos os produtos provindos de maus tratos/utilização de animais, faço minha parte, dentro do possível, para defender as bandeiras que acredito e promover o bem estar animal.

Você tem medo de mudança?

47FRU8SIHP.jpg

Mudança. Essa simples palavra muitas vezes causa uma perturbação enorme em algumas pessoas. A maioria de nós está tão acostumado a viver na comodidade da rotina, que qualquer movimento fora do habitual traz a tona um desconforto, o medo.

O medo de sair da zona de conforto, de conhecer uma nova realidade, de abrir a mente a uma nova experiencia, a um novo conceito ou pensamento, fazendo com que nos sintamos retraídos, presos ao ordinário.

É necessário então que vençamos essa barreira que nos impede o crescimento, para podermos conhecer o mundo de verdade, vivenciar e viver a vida de uma maneira nunca antes experimentada. Sair da bolha que criamos e que estamos tão acostumados.

O medo de mudar nos deixa inseguros e nos impede de experimentar algo novo. Por isso é imprescindível que quando uma oportunidade surgir, você a agarre com toda força e aproveite. Seja uma mudança de cidade, de ambiente, de amizades, relacionamentos ou o que for. Ao fazer essa escolha você se torna mais aberto a novas experiencias, a um estudo de auto conhecimento que fará sua mente e sua percepção de mundo se expandir, sabendo aceitar melhor coisas que antes não sabia lidar.

Liberte-se de tudo aquilo que tem mantem preso a uma ilusão de falsa proteção e dê seu primeiro passo ao novo. Viva cada momento e tente tirar dele algum aprendizado. E o mais importante, pratique a gratidão, pois por incrível que pareça, é só nos momentos de mudança que nos damos conta do que e de quem é realmente importante e essencial na nossa vida.

 

 

20 anos, o que mudou?

image

Sempre que chegamos a uma data especifica, seja Natal, Ano novo ou aniversário, paramos um pouco para refletir sobre o que fizemos, como está nossa vida no presente e o que queremos para o futuro. E isso é bom, por que é assim que conseguimos ter uma noção de como andam nossas metas e se estamos mesmo vivendo aquilo que desejamos.

E ao refletir sobre a vida percebemos o quanto as coisas podem mudar de uma hora pra outra e acontecer de uma maneira totalmente diferente de como imaginamos. Assim como todo mundo, no começo de 2015 eu fiz aquela famosa listinha de Metas para o futuro. E dentre tantas coisas escritas nela eu pedia por um emprego bacana e minha vaga na faculdade, isso, é claro, com todo um planejamento dentro da minha cabeça. As coisas deveriam acontecer assim e assado e seria tudo perfeito.

Só que no decorrer do ano as coisas não aconteciam e eu só me sentia mais frustrada desanimada por não ter aquilo exatamente do jeito que eu imaginei. Mas, como muita gente diz e a gente não acredita, o universo age de fomas misteriosas. E foi assim que aconteceu, comecei a trabalhar num lugar incrível, que eu nunca imaginei trabalhar, expandi muito minha mente para assuntos que eu não pensava muito a respeito e me senti grata por tudo isso. Esse é o Segredo. Comecei a me tornar mais responsável e cresci bastante. E com o passar do tempo, e muitos Check it na minha listinha, conquistei mais uma meta, a mais importante.

Entrar na faculdade, principalmente quando se é longe de casa, não é tarefa fácil. Além de ter que deixar a família e amigos para trás, é preciso também ter também a cabeça no lugar. Até porque a vida de calouro não se resume somente a festas e diversão, e sim a MUITA responsabilidade. Antes você tinha ajuda pra tudo, agora terá que gerenciar tudo sozinho, tempo, dinheiro, moradia, estudos e o principal, juízo.

Engraçado, quando somos mais novos queremos muito viver essa vida de adulto, que nas aparências é tão legal, ai quando chegamos aos 18 percebemos que nada muda. Só que aos poucos, sem que nos demos conta, as coisas começam a ficar diferentes, e quando menos percebemos a vida adulta, responsabilidades e decisões começam a bater na nossa porta. E então, fazemos o que??? Temos que encarar, começar a tomar conta da nossa vida, de nós. Com coragem e sem medo do desconhecido.

Sei que muitos de vocês estão passando pelo mesmo que eu, então, claro, que eu quero saber como vocês estão se sentindo sobre isso e quais são suas metas para o futuro. Até por que porque essa é uma fase muito boa e que deve ser aproveitada ao máximo. ♥

Mudança

tumblr_m2hy25hOKa1r0i9t4o1_500_large.jpgDepois de tanto tempo imaginando e trabalhando para alcançar algumas das minhas metas, finalmente estou onde gostaria de estar (por enquanto). Todo mundo tem sonhos e desejos, e dentre tantos, consegui realizar alguns deles. Para começar, consegui minha vaga na universidade e agora estou morando sozinha. Esse sentimento de realização é algo tão incrível que não dá nem para descrever. Poder ter um pouco mais de autonomia de vida e fazer algo que realmente gosto é algo muito gratificante. Mas, como muita gente diz, não são só flores. Mesmo para fazer aquilo que gosta é necessário esforço, trabalho e muita perseverança. É necessário foco, responsabilidade e atitude. Até porque, essas realizações são apenas o começo de tantas outras metas e oportunidades de crescimento.

Umas das coisas que fui aprendendo ao longo do meu crescimento é que é preciso estar sempre de mente aberta para tudo e para todos. Isso te possibilitará um aprendizado enorme sobre a vida, sobre as pessoas e sobre como lidar com algo que ainda não é natural do seu cotidiano. Entrar numa universidade e mudar de cidade fez com que eu pudesse ainda mais estender meus horizontes para muitas situações e realidades que não me eram habituais. Essa mistura de cultura, comportamento, pessoas e pensamentos te leva a um nível mais alto de conhecimento e compreensão sobre a vida e sobre como lidar com o próximo. Te ajuda a entender melhor a realidade do outro, a julgar menos e a viver de uma maneira mais leve e esclarecida.

A mudança nos causa isso, esse aumento de perspectiva. Nos tira da zona de conforto, da bolha da mesmice e do comodismo, e faz com que tenhamos cada vez mais oportunidade de conhecer novos ambientes, novas realidades, e trabalhar cada vez mais pela realização daquilo que almejamos.

Consumo = felicidade?

Depois de conhecer o conceito minimalista e pesquisar mais sobre consumo consciente, me peguei pensando no porque das pessoas em geral serem tão consumistas. Eu nunca fui dessas que sai por ai comprando tudo sem consequência, pelo contrário, sempre me policiei muito na hora de comprar as coisas, mas confesso, as vezes, principalmente com maquiagens, cometo alguns excessos.

Um dos influenciadores por gastarmos tanto o nosso suado dinheirinho em supérfluos são as propagandas. Uma nova tendência aqui, uma nova coleção mais a frente, o lançamento de mais um Smartphone super completo que você acha que precisa ter. Tudo isso no fim do mês acaba com a nossa renda.

Mas então porque não parar com isso? Sério, você não precisa de tantas coisas. Porque ao invés de gastar dinheiro com coisas desnecessárias, juntar essa grana para investir em uma viagem incrível que você sempre quis fazer ou no que mais você tenha vontade? Te digo com certeza que essa experiencia valerá muito mais apena que aquela blusinha que você comprou e depois de uns dias esqueceu.

tumblr_m2jhsagkfa1r0i9t4o1_500_large

Algumas das coisas que aprendi após decidir fazer uma limpa na minha vida, retirando todos excessos de tudo que não usava, é que:

  1. Não é preciso ter tantas roupas para ser feliz. Afinal, você não usará todas elas. Na verdade muitas ficarão esquecidas no guarda-roupas.
  2. Quanto mais você tiver mais vai querer. Isso é um fato, não importa em qual área da vida.
  3. Acumular coisas não trás felicidade. Pelo contrário, só deixará sua vida cada vez mais abarrotada.
  4. Colecionar experiencias é mil vezes melhor que colecionar coisas.
  5. Quanto menos você tiver, mais feliz se sentirá. Estar feliz com as coisas que tem, sem o desejo de querer consumir mais é um sentimento incrível. Pratique o desapego.

Ainda estou no começo dessa transição de consumo. E após fazer uma limpeza completa nas minhas coisas percebi que realmente não preciso de muito.

Uma dica: Se tudo que você tiver couber em uma mala grande você estará no caminho certo. 😉